Origem e História de Rio Maior

Encontram-se vestígios da presença humana na região, tais como as descobertas arqueológicas nas grutas de N. Sra. da Luz, que remontam à pré-história, à época do Homo-Erectus.

Como factores preferenciais nesta região, podemos apontar a existência de abundante caça, ao clima ameno e ainda a existência de grandes quantidades de sílex, materia prima necessária ao fabrico de utensílios. De facto, foram também encontrados machados, vasos, furadoures de osso e outros utensílios de sílex.

Por aqui se fixaram romanos e árabes, conforme o provam os diversos vestígios encontrados por toda a região. Este povoado, contudo, perdeu-se por completo. Só no início da nacionalidade se criou uma pequena aldeia na margem direita do rio Maior, que lhe deu o nome. Aos poucos esta povoação foi-se desenvolvendo. Encontram-se referências a esta povoação na venda da quinta efectuada, em 1177, por Pero Aragão e sua mulher Sancha Soares à Ordem dos Templários.

O rei D. Fernando frequentava esta zona para caçar e por cá se instalaram as tropas do Infante D. Pedro, Duque de Coimbra, para descansar quando se dirigiam para Alfarrobeira. D. João IV elevou Azambujeira a vila e tornou-a sede de Concelho, mas ficando sempre dependente de Santarém. D. Miguel esteve aqui instalado e aqui teve conhecimento do resultado da batalha de Almoster. D. José I, em 1766, criou o Hospital da Misericórdia de Rio Maior e criou a Feira Anual de Rio Maior, esta mesma Feira que ainda hoje se realiza, com a denominação de Feira da Cebola.

Em 1834, por decreto de D. Maria I, foi extinto o concelho de Azambujeira. Pouco tempo depois, em 6 de Novembro de 1836, foi criado o Concelho de Rio Maior. Foi elevada a cidade em 14 de Agosto de 1985, por Decreto nº 36/85 de 14 de Agosto. Possui indústrias alimentares, de madeiras e de cerâmica, sal-gema e linhite, estas duas as maiores reservas do país.

Rio Maior foi elevada a sede de concelho a 6 de Novembro de 1836 por decreto de D. Maria II. Anteriormente, Rio Maior pertencia ao concelho de Azambujeira que fora criado em 27 de Maio de 1633 por Filipe de Portugal e agora extinto.

Inicialmente o concelho de Rio Maior ficou constituído pelas freguesias de Rio Maior, Arruda dos Pisões, Azambujeira, Outeiro da Cortiçada, São João da Ribeira e Abitureiras.

Logo a 4 de Junho de 1837 a freguesia de Abitureiras foi desanexada de Rio Maior e passou a fazer parte do concelho de Santarém.

Em 1855 as freguesias de Alcobertas e Fráguas passam a pertencer a Rio Maior devido à extinção do concelho de Alcanena que passou a ser uma freguesia de Santarém.

Em 1877 aparece a freguesia da Vila da Marmeleira por desanexação do lugar de Marmeleira de São João da Ribeira.

Em 1962 São João da Ribeira volta a dividir-se, surgindo assim a freguesia de Arrouquelas. Em 1984, novamente São João da Ribeira é dividida e surgem assim as freguesias de Ribeira de São João e de Malaqueijo. Mas também neste ano surge a freguesia de São Sebastião por divisão de Fráguas e a freguesia de Asseiceira por divisão de Rio Maior.

Em 1985 Rio Maior é elevada a Cidade. Em 1989 o concelho de Rio Maior ficou com a divisão administrativa actual com a formação da freguesia de Assentiz por divisão da Vila da Marmeleira.