Síntese histórica das origens da nossa região:

Sabemos por investigações várias que o Mar de Thetis cobriu parte do nosso concelho. Seriam portanto paquidermes e ostras crassissinas os primeiros seres vivos da região? Estes animais, fossilizados formariam os estratos em que assentaram depois grandes florestas em chamas e lavas de vulcões intensíssimos quando o mundo a Terra se formava, rubra incandescente em cósmicos cataclismos cíclicos que alternavam com períodos gelados de glaciares. Assim de maneira elementar explica a formação das rochas da região de Rio Maior.

Por esta região passaram animais como Mastodonte, Dinossáurios…

O geólogo Ernest Fleury identificou vestígios na região de Rio Maior, que remontam á era Cenozóica. O homem apareceu no último período dessa época do quaternário. Na  região de Alcobertas há vestígios do homem  desde épocas muito  remotas. O homem abandona as cavernas e constrói as primeiras habitações e levanta dolmens como o de Alcobertas para manifestações fúnebres. Todo o vale que desde Alcobertas se estende até à Fonte da Bica é região rica do Paleolítico, onde se encontraram com abundância trabalhos de sílex.

(1)

Serra de Albardos ou dos Candeeiros

Serra portuguesa começa junto da freguesia de Arrimal e se estende para sudoeste por cerca de 22 Km até abaixo de Rio Maior. Também se denomina serra dos Molianos, Alcobertas, Rio Maior. Tem uma latitude máxima de 485 m e a vegetação, que a cobre, rara e espaçada, traduz a sua natureza calcária. Faz parte, com a serra de Aire, do maciço de Porto de Mós, conjunto montanhoso na orla marítima ocidental – região de relevos novos que, com Meseta Ibérica, a orla marítima meridional e as bacias inferiores do Tejo e do Sado constituiu uma das 4 zonas de relevo de Portugal.

Como esta serra, que vai das imediações de Porto de Mós a Rio Maior, se pode considerar o limite oriental da vasta região, que constituiu os coutos de Alcobaça, segundo um estudo, de Pinho Leal, á sua etimologia “Albardos, do árabe albarde que significa coisa fria”

A serra dos Candeeiros é formada por calcário que data do período Jurássico médio e do Jurássico Superior (1), é o mais importante maciço calcário português.

Os fenómenos tectónicos criam lentamente as grutas e aquíferos existentes ao longo da Serra.

A Oeste da Serra dos Candeeiros, Zona de Colinas Jurássicas e Cretáceas de relevo pouco ondulado, sendo ela deformada por vales e ravinas.

*- (1) J. Vieira Natividade, “ Região de Alcobaça”, Impressora Líbano, Lisboa, s/d pág. 19.